Uma Lição de Amor...

Quando estamos atentos para olhar a vida ao nosso redor, tudo passa a ter um sentido maior, mais belo e mais real.


A experiência que vou compartilhar, trata-se de uma história real, da qual tive a oportunidade de vivenciar e que me tocou profundamente, despertando um sentimento sem medidas de gratidão pela vida...


Convidado para conhecer um local que cuidava de pacientes que sofrem de *Alzheimer, em uma instalação modesta, com tudo bem organizado, demonstrando de primeiro momento muito carinho e dedicação da parte dos profissionais envolvidos.

Recinto animado, com descontrações por parte de trabalhadores voluntários que doavam alguns momentos do seu dia para estar ali levando alegria e esperança. Até então tudo normal, pensava... Mas a vida sempre tem algo mais para nos ensinar. Foi quando uma cena chamou completamente minha atenção.

Observei, que de um corredor não muito longo, surgia a figura de um velhinho que andava em passos rápidos dotado de certo encanto, que por algum motivo chamava minha atenção no momento.
Simpático, com alegria de viver, ele gentilmente cumprimentou as enfermeiras e se dirigiu para um dos aposentos do local. Toda aquela cena continuava a chamar minha atenção, que entre olhares disfarçados procura acompanhar todo o movimento.

Foi então que notei uma enfermeira retirar do salão principal, uma senhora estava sentada em uma cadeira do tipo espreguiçadeira, que alguma mão abençoada havia lhe adaptado rodinhas com muita perfeição, de modo a facilitar seu deslocamento. Acompanhei toda cena.
A enfermeira entrou com a senhora no aposento, onde aquele senhor anteriormente havia entrado. 
Não contendo minha curiosidade dei alguns passos a frente, quando me deparo com a enfermeira vindo em minha direção.

- Quer conhecer um amor de almas, disse-me ela.

Antes mesmo que eu pudesse responder a enfermeira segurou meu braço me levando até a porta do quarto, deixando-a entreaberta e me disse baixinho.

 - Veja... Você esta diante do amor. Todos os sábados este senhor vem até aqui, religiosamente neste horário para ficar ao lado de sua esposa.

Os poucos minutos que fiquei ali, estacado, contemplando aquela cena foi o suficiente para eu ter a certeza de que jamais irei esquecê-la.

Via que o senhor carinhosamente conversava, acariciava e alimentava aquela senhora com pequenos pedacinhos de pão, que cuidadosamente retirava de uma sacola de plástico e partia-os com as mãos... Mãos de um homem que suportou as investidas do tempo e que simplesmente amava aquela senhora que mal articulava seus movimentos para dar sinais contínuos de suas lembranças. Mesmo assim, aquele instante era único, porque aquele senhor a amava com tudo o que tinha...

Talvez, porque já havia notado minha presença, tomou iniciativa de forma muito educada e me convidou para entrar, com um doce sotaque argentino.

- Entre filho, venha cá!

E foi logo me dizendo de forma muito direta...

- Filho, você conhece o amor? Somente se conhecer o amor, poderá entender o que estou fazendo neste momento.

Observava calado.

- Filho, quando cheguei ao Brasil, conheci a família desta mulher, pessoas muito boas.

Pausava de modo a buscar por lembranças...

- Quando a vi pela primeira vez, senti que meu lugar era aqui, nesta terra... E aos poucos fomos descobrindo o interesse de um pelo outro.

- Mas a época era diferente e sabia que para ficarmos juntos eu teria que primeiro conquistar a sua família, mostrando que eu era uma pessoa honrada e merecedora de seu amor.

- O tempo passou e mesmo com as dificuldades da época me firmei neste solo e consegui bom trabalho, apesar do dinheiro curto, já dava para o nosso sustento.

- Foi quando lhe pedi em casamento, ela foi durona, mas aceitou...

Naquela altura o senhor olhou para meus olhos e pude ver que de seus pequenos olhos surgiam as primeiras lagrimas...

- Filho! Esta mulher que você vê aqui hoje em sua frente, me deu os dias mais felizes da minha vida, me deu uma família e amor.

- Se quando eu mais precisei dela, ela me fez o homem mais feliz e esteve ao meu lado...
 - Ah, filho!... Não é agora que irei abandoná-la, só porque acham que ela não se lembra mais de mim... Hoje nós nos falamos, amamos, sentimos, apenas com o coração. E para mim, ela continua linda como sempre foi.

- Porque o que os seus olhos vêem aqui filho, não é o que os meus olhos vêem... E sempre digo as meninas que aqui trabalham (referindo-se as enfermeiras)... Amem! Amem!

Com os olhos fixos em sua amada, simplesmente completou...

- Entende agora?

Só consegui dizer... Obrigado!

***  

Penso que histórias de vida, experiências, aprendizados, que tem como objetivo nos tronar seres humanos melhores para aqueles que estão ao nosso lado, para nossa família, sociedade e por que não para o mundo, devem ser passadas adiante, de modo a se tornar uma corrente do bem.
Não importa o que vão dizer sobre você, se vão acreditar ou não, simplesmente passe adiante suas esperanças, pois com certeza elas farão com que o dia de alguém, em algum lugar, se torne um dia melhor. E se esta pessoa esboçar um simples sorriso, este sentimento voltara para você em forma de gratidão.

As vezes, simplesmente perdemos o endereço do amor durante o nosso percurso, é natural, mas chega o momento em que a maturidade vai nos ensinar a olhar para vida com os olhos do amor, porque o amor é uma fonte inesgotável que sempre estará dentro de nós, para nos guiar, é a lei da vida. 

Aos poucos vamos aprendendo que para enxergar o que é real, primeiro temos que aprender a ouvir nosso interior, mas para isso, precisaremos vencer o desafio de aquietar nossos instintos para buscar nosso silêncio e aprender a nos conhecer.
Muitas vezes, aquilo que julgamos conhecer sobre nós mesmos, são apenas mascaras que nos colocaram, ou fomos colocando ao longo da vida de acordo com as nossas necessidades do momento, formando aquilo que conhecemos como, nossa personalidade.

Vamos ousar a deixar nossa zona de conforto e romper com estes paradigmas do que é certo, errado, do que combina ou deixa de combinar. Afinal, o que importa realmente é aquela voz que nos avalia toda vez que colocamos nossa cabeça no travesseiro, nos alertando se estamos em paz conosco mesmo, ou não.

Quem realmente sou? O que realmente acredito e desejo para mim? Estas respostas, ninguém poderá nos dar, simplesmente porque não seriam as nossas respostas. Esta tarefa, cabe a nós mesmos.

Que possamos simplesmente dizer...
Obrigado, por você existir!

José Antonio da Cruz
25/06/2013
Catanduva-SP


___________________________________________

Nota:
Alzheimer
Doença que provoca deterioração das funções cerebrais, como perda de memória, da linguagem, da razão e da habilidade de cuidar de si próprio.


Comentários

  1. Micheli Borgonovi25 de junho de 2013 11:56

    Belíssima e emocionante história amigo José!
    " O amor é para os corajosos ". Faz com que consigamos trabalhar nossos sentimentos de uma maneira muito intensa e renovadora. Feliz daquele que se permite á compartilhar de Vida e Amor com outro alguém ..nessa Terra onde os amores são tão passageiros !!!

    Parabéns pela reflexão!!
    Muita luz.. amor e sabedoria pra ti!!

    ResponderExcluir


  2. MUITO LINDO MESMO, JA FIZ PARTE DE UMA HISTORIA DE AMOR PARECIDA, A DOS MEUS PAIS, ONDE MEU PAI DEDICOU TODO SEU AMOR E ATENÇAO A MINHA

    QUERIDA MAE.

    EMOCIONANTE..... MAS HOJE SINTO MUUUUITA SAUDADE.

    OBRIGADA

    ANGELA

    ResponderExcluir
  3. Zezinho, amei, a história é linda mas a sensibilidade que você a conta é maravilhosa. A sua humildade em dizer obrigada a este senhor mostra a grandeza de seu coração, que poderia simplesmente ter deixado tudo passar despercebidamente sem aproveitar a lição que a vida te deu no encontro com este casal. Adorei te conhecer, adorei seu blog, vou estar aqui sempre, beijo grande.

    ResponderExcluir

Postar um comentário